Uma senhora, de oitenta anos, faz uma festa de aniversário. Ela, Maria Luíza e seu filho, Sudário, são os personagens principais do romance. Há uma espécie de comunicação sensitiva entre eles. O enredo segue a linha da vida.

Um Juiz Federal, de 60 anos, em férias, retorna à suja cidade natal, Paracatu -MG, e conta suas histórias ao seu neto que o acompanha nesta viagem. O juiz, é filho de um casal de negros quilombolas, mas foi adotado.

“Algodão Doce” é um romance infanto-juvenil, um drama social. Um acidente de trânsito desencadeia fatos e afeta a vida dos gêmeos órfãos de pai e mãe. Já na adolescência, a menina-moça faz-se confidente de um cachorro.

Um médico sanitarista, diretor de um Departamento no Ministério da Saúde está deixando seu trabalho. Ao sair da sala de trabalho dá um espirro e ouve a palavra “Saúde!” É o suficiente para ele reconhecer a namorada de infância e juventude que tornou sua grande rival.

A família de um médico famoso, especialista em sanitarismo e dengue muda-se de São Luiz para Brasília e nesse processo de mudança um de seus parentes morre por decorrência de dengue no Maranhão. Na cena do enterro, surge um romance infantil que é retomado 9 anos depois.