ENIGMAS DO CORPO

J. Simões

Se eu for falar de mim

não direi que sou assado,

porque sei que sou assim

de coração palpitado.

Se quem me olha não vê

o que carrego no peito,

que vá aprender a ler

meus rastros no meu eito.

As marcas que vou deixando

no que falo e no que faço

são enigmas confirmando

que viver é um abraço

que se dá ao corpo amigo

porque ele é nosso espaço,

nosso lar e nosso abrigo

de juntar nossos pedaços!

#

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *